Categoria ‘Mídia’

O consumidor digital

por NJovem, em 28/02/2012 às 1h19

Realizador: Nielsen

Local de realização: Global

Resumo:  A pesquisa mostra o comportamento dos consumidores digitais no segundo semestre de 2011. Chamados de Geração C (de Conectados), esses jovens adultos com idades entre 18 e 34 anos estão constantemente conectados à internet e entre si. Não descansam nem quando estão fazendo outras atividades: quando assistindo a um programa na TV, costumam checar emails, pesquisar sobre um assunto não relacionado ao que estão vendo e acessar redes sociais. O Facebook, aliás, é o site mais acessado durante esse momento. Esse público é o que mais entra em redes sociais por smartphones – 58,8% afirmam usar seus aparelhos para isso.

Saiba mais aqui.

Como os pais controlam o acesso dos filhos à mídia

por NJovem, em 13/02/2012 às 12h55

Realizador: Parent Port

Local de realização: Reino Unido

Público-alvo: 1.800 pais e mães de jovens

Resumo:  A pesquisa revela como pais britânicos controlam a forma como seus filhos jovens acessam mídias destinadas a públicos mais velhos. Entre os que têm filhos que assistem a filmes em casa, 40% deles já permitiram que as crianças assistissem a produções classificadas como não apropriadas para suas idades. No caso de videogames, a porcentagem é de 25%. Além disso, 16% dos pais entrevistados revelaram que já compraram um gadget para seus filhos que eles próprios não sabiam como funcionava. Apesar de liberar acesso a conteúdo teoricamente não permitido a seus filhos, os pais mostraram supervisionar aquilo que as crianças veem e usam – 82% afirmaram saber sempre quais filmes e programas de TV são vistos dentro de casa, e 77% quais sites são visitados.

Saiba mais aqui.

Hábitos da Geração Y

por NJovem, em 08/09/2011 às 10h35

Realizador: Barkley

Local de realização: Estados Unidos

Público-alvo: 5.000 jovens e adultos

Resumo: O estudo mostra um comparativo entre os integrantes da Geração Y e os mais velhos. Como era de se esperar, os jovens são mais impactados pelas campanhas de marketing em redes sociais e a notícias online do que gerações anteriores. Campanhas novas e de causas jovem também os atingem mais. Como exemplo, 33% deles contra 21% dos mais velhos demonstraram conhecimento da campanha “Dove pela real beleza”.

Entre outras descobertas, 23,5% dos jovens e jovens adultos interagem com conteúdo de marcas no Facebook pelo menos uma vez ao dia, contra 17% dos adultos mais velhos. Os Millennials também têm 4,4 pontos porcentuais mais chances de interagir com conteúdo de marcas entre uma e seis vezes por semana. E os mais velhos têm duas vezes mais chances de nunca interagir com uma marca no Facebook.

A pesquisa também revela que eles assistem a menos televisão e, quando não estão vendo conteúdo nela, assistem a programas principalmente em seus notebooks (42% contra 18% dos mais velhos), DVR ou on-demand. Com relação a hábitos de compra, 50% deles afirmam consultar seus smartphones durante visitas a lojas para pesquisa de produtos.

Por último, um dado interessante: 70% da Geração Y quer conhecer todos os continentes ao longo da vida. Entre os mais velhos, menos da metade tem o mesmo objetivo.

Veja outros resultados aqui.

O surgimento da fama

por NJovem, em 05/09/2011 às 9h26

Realizador: CyberPsychology

Local de realização: Estados Unidos

Público-alvo: jovens de 9 a 12 anos

Resumo: O que os jovens aprendem com a televisão nos dias de hoje? Um estudo norte-americano resolveu investigar como os valores pregados pelas séries de televisão mudaram ao longo de quarenta anos, entre 1967 e 2007. Para isso, foram selecionados dois shows de cada década e analisados que tipo de mensagem eles transmitiam aos jovens de nove a doze anos, por meio de entrevistas com adolescentes e adultos que cresceram assistindo a essas atrações.

A fama, que até 1997 estava em um dos últimos lugares no ranking de valores, subiu para o primeiro em 2007, graças a shows como American Idol e Hannah Montana. Senso de comunidade, que ficou em primeiro durante as três primeiras décadas, caiu para o 11º lugar na última análise. Literalmente, os valores se inverteram. Todos os componentes que caracterizam a fama ficaram muito mais presentes nos personagens televisivos dos últimos anos.

Confira mais detalhes clicando aqui.

Consumo de vídeo

por NJovem, em 20/06/2011 às 1h04

Realizador: Nielsen

Local de realização: Estados Unidos

Público-alvo: Norte-americanos de todas as faixas etárias

Resumo: Pesquisa mostra que o consumo de conteúdo de vídeo entre os norte-americanos está mais alto do que nunca. O tempo gasto em frente à televisão aumentou em 22 minutos por mês por pessoa. No caso de vídeos em dispositivos móveis, as horas de consumo aumentaram 100% desde 2009. Já o hábito de assistir a vídeos na internet é maior entre os mais jovens.

Confira mais detalhes clicando aqui.

Jovens multitarefa

por NJovem, em 06/06/2011 às 4h28

Realizador: Frank N. Magid Associates

Local de realização: Estados Unidos

Público-alvo: jovens da Geração Y

Resumo: A pesquisa revela de que forma o uso de diversos meios ao mesmo tempo pelos jovens pode ser eficiente aos anunciantes. Enquanto assistem a um programa na televisão, muitos deles usam celulares e redes sociais não para se informar sobre outros assuntos, mas sim para comentar sobre o próprio programa a que estão assistindo – 40% por SMS e email, 30% por Facebook e 25% pelo Twiter. O estudo também revela que a porcentagem de garotos que usa esses meios para comentar tal conteúdo é o dobro das garotas.

Confira mais detalhes clicando aqui.

O comportamento digital dos jovens consumidores

por NJovem, em 04/04/2011 às 9h40

Realizador: Forrester Research Inc.

Local de realização: Estados Unidos

Resumo: A pesquisa visa mostrar que, apesar de todos saberem que as crianças e adolescentes estão conectados o tempo todo por diversos meios, ficou mais difícil chamar a atenção deles apesar de tantas maneiras. Um número importante é que, dentre as pessoas de 12 a 17 anos, apenas 6% que ser amigo de alguma marca no facebook. Isso significa metade do número das pessoas entre 18 e 24 anos que fazem isso. Outras dados sobre o comportamento dos jovens com os meios digitais podem ser conferidos no report da pesquisa:

Os adolescentes de hoje em 2020

por NJovem, em 01/10/2010 às 4h25

Realizadores: Creafutur (Fundação privada espanhola)
Ano: 2010
Resumo: Uma recente pesquisa veiculada no WGSN Business Resource aponta que os adolescentes de hoje continuarão sendo “adolescentes” até os 35 anos de idade. Um dos fatores para que isso aconteça é o aumento do custo de vida para morar sozinho.

O report cita as seguintes tendência com relação à hábitos de consumo:
- Adolescentes continuarão a influenciar as decisões de compra das categorias de comida, roupas e higiene pessoal.

- Os jovens hoje gastam seu dinheiro principalmente em roupas (€26 por mês), comida (€24 por mês), e tecnologia (€20 por mês). Jovens adultos de países industrializados continuarão preferindo roupas e tecnologia em 2020.

- Jovens de países emergentes preferirão gastar em transporte, propriedade, saúde e educação.

- Hoje os adolescentes preferem produtos de marca: 75% dos consumidores chineses, 69% dos brasileiros e 61% dos mexicanos disseram que sempre compram produtos de marcas conhecidas.

- Jovens adultos em 2020 focarão mais no preço do que no nome da marca. Entretanto, os jovens em mercados emergentes como Mexico e Brasil continuarão tendo atitudes aspiracionais.

- Jovens em 2020 somente se sentirão responsáveis pelo meio ambiente quando se sentirem responsáveis em outras áreas de suas vidas. Todavia, o aumento nos custos de energia e água significarão que eles provavelmente precisarão mudar de atitude em relação ao consumo sustentável.

- Existe uma tendência de que os jovens adultos dividam o uso de alguns produtos, seja por corte de custos ou por questões de sustentabilidade.

- 76% dos adolescentes dizem que usarão a internet para comprar produtos e obter conselhos no futuro.

- A tendência é que em 2020 exista uma forma de pagamento por celular, complementar ao cartão de crédito, mais segura e menos propensa a clonagem e roubo de identidade.

- É esperado que a atual insegurança em compras online esteja sanada em 2020, resultando em um aumento no e-commerce.

Consumo de mídia:
Hoje em dia os adolescentes estão conectados em mídia como nunca antes, por meio de diversas plataformas, incluindo TV, Internet, Celulares e consoles de video. Essa relação tende a aumentar, com 50 bilhões de aparelhos multi-uso interconectados no mundo todo.

- A demanda para aparelhos multifuncionais, como o Ipad, vai crescer ainda mais no futuro. Os proprietários de Iphone utilizam os seus aparelhores por 20 minutos a mais do que os que possuem outros aparelhos.

- 50 bilhões de aparelhos interconectados ao redor do mundo permitirão aos jovens consumidores ter total mobilidade e conectividade.

- Estar apto a fazer várias tarefas ao mesmo tempo será essencial para o profissional em 2020.

- A imprensa digital vai ganhar mais e mais seguidores gradualmente, conforme as pessoas precisarem de informações em tempo real e tiverem mais acesso a isso.

- O fenômeno de desenvolver a habilidade de acessar diversas mídias por meio de um aparelho em um clique vai evoluir. Mas alguns hábitos sobreviverão em 2020, jovens ainda ouvirão rádio em seus carros, assistirão televisão enquanto descansam no sofá e lerão o jornal enquanto relaxam no jardim.

- Os jovens ainda preferem a qualidade oferecida pela tela da TV ao invés dos computadores ou celulares, mas a demanda por conteúdo personalizado pode mudar esse quadro.

- Está se tornando evidente a demanda por conteúdo programado que pode ser visto em diferentes mídias e aonde e quando quisermos.

- É essencial para o futuro desenvolver uma mídia versário, simples, intuitiva e barata que permitirá jovens adultos a customizar o conteúdo de acordo com seus interesses e necessidades.

Conexões:
Conforme os jovens se tornam mais dependentes da internet, o tempo que eles passam online está aumentando. Atualmente, a diversão dos adolescentes é principalmente tecnológico – eles vivem imersos em novas tecnologias que oferecem novas formas de socialização.

- 68% dos adolescentes no mundo são usuários de redes sociais, e utilizam a internet para acessar música, notícias, vídeos, jogos e informação para possíveis compras.

- Quando esses adolescentes ficarem mais velhos, passarão ainda mais tempo online, aumentando o consumo de energia em 50% e fazendo a eletricidade mais cara.

- Jovens vão gastar mais tempo socializando online para diminuir os custos de encontrar amigos.

- 83% vai usar a internet para se comunicar por e-mail, 81% para auxílio nos estudos, 75% para procurar notícias e 73% para procurar trabalho.

- Menos tempo será gasto utilizando serviços de mensagens instantâneas, canais de rádio e jogos na internet se comparados aos adolescentes de hoje.

Jovens e consumo de notícia

por NJovem, em 20/04/2010 às 2h03

Jovens querem estar mais informados
Realizadores: McKinsey
Local de realização: Reino Unido
Ano: 2010
Resumo: Relatório da McKinsey mostra que a pessoa média tem consumido mais doses diárias de notícia: 72 minutos, comparado com apenas 60 minutos em 2006. O estudo revela ainda que o aumento foi impulsionado quase que inteiramente por pessoas com menos de 35 anos. Dois quintos das pessoas nessa faixa etária disseram que sentiram a necessidade de ser o primeiro a ouvir a notícia, em comparação com apenas 10 por cento das pessoas entre 55 e 64 anos. A mídia impressa continua a ser a mais confiável, com 66% dos entrevistados – que descreve o papel como “informativo e inspirar confiança”, seguida da televisão (44%) e da internet (12%).

Leia mais aqui.